Principal POLITICA Eduardo critica Amastha: ‘antes Irajá senador do que o bando que anda...

Eduardo critica Amastha: ‘antes Irajá senador do que o bando que anda com ele’

0
Compartilhe

O deputado estadual Eduardo Siqueira Campos reagiu nesta segunda contra duas declarações recentes do prefeito Carlos Amastha. A primeira, de que a senadora Kátia Abreu teria a intenção de eleger o filho, deputado Irajá Abreu (PSD), ao cargo de senador. “Não tenho procuração da senadora para defendê-la, mas é preferível o Irajá que é conhecido e leva recursos para todo o estado do que o bando de desconhecidos que anda com ele”, disparou por telefone o deputado, em ligação telefônica ao T1 Notícias na manhã desta segunda, 15.

“Ao ouvir o prefeito da capital dizer que Palmas era o Patinho Feio que ele transformou em cisne, a paciência com esse moço acaba. Se Palmas era tuim assim, o que fez o empresário colombiano vir a Palmas fazer seus negócios? O que fez com ele viesse comprar área a preço baixo, na região Norte do País, e construir um shopping que por sinal ele já vendeu? Foi essa cidade que deu a ele a oportunidade de ser prefeito”, disparou Eduardo Siqueira. Segundo o deputado, “é revoltante para quem veio para cá no início, e construiu a cidade que ele encontrou aqui quando chegou, ouvi-lo se referir a Palmas desta maneira num discurso na Frente Nacional de Prefeitos, a ministro, diante de grandes líderes nacionais”.

Eduardo Siqueira disse ainda que Amastha faz o discurso da “velha política” de acordo com a ocasião. “ Não é possível ouvi-lo falar de política velha, enquanto está indiciado numa operação da Polícia Federal, e acaba de fazer uma citação a Ises, que ele afirma estar em paradeiro incerto e não sabido” critica o deputado. “Será que ele tem uma varinha mágica que transforma imediatamente quem está ao seu lado em nova política e seus adversários permanecem na velha política? Por que ele fez discurso elogiando Roberto Jefferson, José Geraldo… E ele tem na sua equipe Danilo de Melo, Alan Barbiero, pessoas que serviram a outros governos e nem por isso podem ser rotulados”, argumentou.

Carreira que depende de voto

O deputado argumentou que todo grande jurista sonha em ver o filho seguir sua carreira, a maioria dos grandes médicos forma os filhos em medicina, e que o político que quer ter os filhos o acompanhando na vida pública enfrenta uma diferença: “é que para eleger um filho, é preciso de votos. Então o prefeito tem que aprender a respeitar as pessoas. A senadora foi eleita pelo voto direto e lhe foi muito útil enquanto esteve trazendo recursos para Palmas. O filho dela, Irajá, também foi eleito pelo voto direto”, argumenta.

“Será que ele esqueceu que trabalhou para Gaguim arduamente em 2010 e votou no Gaguim? por que eu me lembro bem”, disse Eduardo. “Então ele tem que pensar bem em chamar a nossa cidade de Patinho Feio, como se não houvesse nada nem ninguém aqui antes dele”, desabafou.

Para Eduardo Siqueira, o direito de Amastha disputar é legítimo, mas é preciso que haja “respeito pelas pessoas que estão em outras frentes”.

Mal interpretado

Ouvido pelo T1 Notícias sobre sua declaração na posse do comando da Frente Nacional de Prefeitos, Carlos Amastha disse ter sido mal interpretado pelo deputado Eduardo Siqueira. “Quando me referi que a cidade era um Patinho Feio, estava falando de como recebi Palmas. Bem diferente da capital sonhada e planejada pelo ex-governador Siqueira Campos. O deputado distorce as minhas palavras”,

Amastha não quis polemizar sobre as declarações em torno de Kátia e Irajá Abreu.

Deixe seu comentário.

Please enter your comment!
Please enter your name here